Avançar para o conteúdo principal

Cinco maiores arrependimentos antes de morrer

Se puder pare o que está a fazer e escute com atenção o que esta geriatra especialista em cuidados paliativos, nos tem para dizer, Ana Cláudia Arantes (Hospital Einstein, São Paulo)
Aproveite ao máximo!

Comentários

  1. Assisti ao vídeo e parei, para um momento de reflexão. O que estou fazendo de minha vida, dia a dia? Quais minhas escolhas, meus sacrifícios e meus prazeres?
    Fazer este exercício me fez relembrar algo que aparentava, apenas aparentava ser muito óbvio: eu existo! Sou um ser social, sim, porém indivíduo - tenho cá minhas particularidades, oras bolas! Preciso rever meus conceitos e muitos dos pré-conceitos para realinhar meus passos, meu caminho e minha vida!
    Fui sensibilizado!
    Observar-me-ei, respeitar-me-ei, desde este momento para adiante, com o propósito de uma vida saudável física e emocionalmente - sem mágoas, sem culpados e com o compromisso de, antes do "fechar das cortinas", apresentar meu coração a sorrir no último ato!
    Parabéns, Lea, por seu blog e lindo trabalho que realiza! Sua bondade, generosidade e amor pela vida, demonstrados em tudo que faz e se dedica, são parte do brilho que se destaca em seu olhar!
    Cezar Duran, São Paulo, Brasil.

    ResponderEliminar
  2. Cezar,
    muito obrigada pela tua mensagem. Vale mesmo a pena parar e refletir sobre o nosso percurso, pois a cada passo que damos, temos a maravilhosa oportunidade de escolher para onde queremos ir.
    Abraço cheio de saudades!
    Lea

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Food Matters (legendado)

"Se pensa que pode ir ao médico e tomar um comprimido para tudo, está profundamente errado."
"Há cada vez mais pessoas a recorrer a alternativas, porque o que se tem feito até agora não funciona."
"Descubra o que realmente funciona!"
"É uma opção. Você não tem de ficar doente."

o corpo, a autoestima e a ferida invisível

o corpo é muitas vezes um senhor ceguinho, não vê as formas, não vê as cores, não vê as ruas... mas precisa de obedecer às indicações dos senhores que têm olhos que as vêem, para poder seguir caminhando. mas o corpo é sábio, o corpo é verdadeiro, o corpo sente, o corpo fala baixinho, o corpo chora às escondidas.

o corpo fala baixinho! tão baixinho que não lhe prestamos atenção. ele é uma marioneta da nossa mente, das nossas emoções, da nossa consciência. uma marioneta viva, com um coração de carne, o que muda tudo. faz-me lembrar aquela afirmação de Saramago: "se tens um coração de ferro bom proveito. O meu fizeram-no de carne, e sangra todo o dia".

acho que o corpo sofre demasiadas vezes com a falta de estima por parte de quem o habita. o corpo anda apertado, o corpo anda carregado, o corpo anda desnutrido, o corpo anda intoxicado... o corpo anda cansado!

o corpo tem feridas que se autocuram, ele tem esse poder, mas o corpo também tem feridas invisíveis - das que já vieram…

Os 4 acordos Toltecas

A sabedoria dos nossos antepassados ensina-nos tanto...

Os ancestrais ensinamentos dos Toltecas ou “o povo da sabedoria” – os cientistas, artistas e xamãs nativos do México, que há dez mil anos procuraram a liberdade pessoal e espiritual.