sábado, 17 de janeiro de 2015

Nutrição Infantil: não vá atrás da maioria, pela saúde do seu filho!

Tenho sido procurada por pais preocupados em saber se estão a proporcionar uma alimentação equilibrada, completa e saudável para os seus filhos, desde a alimentação diversificada (a partir dos 4 a 6 meses) até aos primeiros aninhos de vida.
Maioritariamente, são pais vegetarianos ou semi (comem peixe), que gostariam que os seus filhos crescessem afastados da carne (sobretudo) e do leite de vaca. O curioso é que alguns pais até já experimentaram dar alguma carne, como frango, às crianças, por insistência de alguns pediatras, mas a rejeição é contínua. De fato, não é obrigatório o consumo de carne (e até de peixe, no caso de pais vegetarianos mais estritos, por razões éticas ou afins) nos bebés e crianças muito pequeninas (por exemplo até aos 3 anos) para haver um crescimento saudável e harmonioso.
O objetivo deste post não é discutir se a alimentação infantil deve ou não ser vegetariana (isso deve uma opção muito consciente dos pais), o que venho aqui escrever é um alerta aos pais relativamente ao que é recomendado para as suas crianças e questionar se de fato o que a maioria das pessoas faz é o mais correto.

A procura pela Dieta Vegetariana e as implicações na sua Saúde

A procura de um maior bem-estar e de mais saúde, quer ao nível individual quer coletivo, bem como a consciência crescente acerca da preservação ambiental e do desenvolvimento sustentável, tem levado cada vez mais pessoas a adotar uma alimentação vegetariana (ovo-lacto-vegetariana ou vegana) ou, pelo menos, mais vegetariana. 

Razões de ordem ética, filosófica, religiosa, metafísica e/ou ecológica estão quase sempre por detrás desta opção. Mas motivos estritamente científicos, que se baseiam em questões nutricionais e nos benefícios para a saúde, podem justificar por si só este tipo de regime.

sábado, 3 de janeiro de 2015

Reflexões de início de Ano - Para além da comida...

A propósito do início do ano, a maioria de nós já refletiu, ou começa agora a fazê-lo, sobre o que quer ser, fazer ou sentir em 2015. 
Estamos mais sensíveis àquilo que é importante para nós e sabemos que "tens de te amar", de "cuidar de ti", que "tu és o ser mais importante da tua vida" e que por isso "deves colocar-te sempre em primeiro lugar"...
mas se todos concordamos com estes conselhos, porque é que, tantas vezes, nos tratamos tão mal?!

É certo que nem sempre é fácil mantermos os cuidados diários que precisamos... 
Temos muito trabalho e sufocamos, temos pouco trabalho e deprimimos; 
Temos horários irregulares;
filhos para criar;
maridos ou mulheres que precisam da nossa atenção;
colegas de trabalho ou chefes mal-humorados;
problemas com o carro, a casa...;
as contas para pagar que não param de encher o correio
e uma infinidades de "razões" para não termos disponibilidade para cuidarmos o suficiente de nós.

Janeiro é o mês das laranjas!

Na natureza tudo o que acontece está perfeito. Janeiro é um dos meses mais frios do ano, altura em que estamos expostos a condições ambientais adversas, que naturalmente influenciam o nosso estado de saúde física, mental e emocional. Ao mesmo tempo, a falta de sol prolongada também tem efeitos nefastos no organismo humano. A tendência para adoecermos por qualquer causa é muito maior, pois as necessidades nutricionais e energéticas são bastantes superiores às de outras épocas do ano. Por outro lado, a natureza oferece-nos nesta época, esta deliciosa fruta, a laranja!