sábado, 22 de dezembro de 2012

Dieta anti-inflamatória na AGITAR


Anti-inflammatory food pyramid
Para começar o ano de 2013 cheio de saúde, iniciará em Janeiro  um novo módulo da Nutrição e Saúde Integral intitulado:


Tournée Saudável - Mens Sana In Corpore Sano

Um dos temas a abordar será a Dieta Anti-inflamatória. O que é? Para que serve? Quais os alimentos da dieta? Quais os alimentos a evitar? Exemplos práticos para o dia-a-dia.

A dieta anti-inflamatória foi estudada e desenvolvida para reduzir a inflamação crónica, um factor chave em todas as pessoas com problemas de saúde e na grande maioria das doenças.
Na inflamação crónica, o sistema imunitário liberta constantemente substâncias potencialmente inflamatórias. Muitas vezes, são resultado de um estilo de vida com stress, falta de exercício e dieta desequilibrada. Esta dieta ajuda a prevenir ou tratar as seguintes condições:
Alergias, asma
Doença de Alzheimer (e outras doenças neuro-degenerativas)
Doenças cancerígenas
Diabetes e Síndrome Metabólica
Doenças cardiovasculares
Doenças inflamatórias intestinais e Síndrome do cólon irritado

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

A todas as mulheres...


 

Chapéu violeta

Aos 3 anos:
ela olha pra si mesma e vê uma rainha.

Aos 8 anos:
ela olha pra si e vê Cinderela.

Aos 15 anos:
ela olha e vê uma freira horrorosa.

Aos 20 anos:
ela olha e se vê muito gorda, muito magra, muito alta, muito baixa, muito liso, muito encaracolado, decide sair mas... Vai sofrendo...

Aos 30 anos:
ela olha pra si mesma e se vê muito gorda/ muito magra, muito alta, muito baixa, muito liso, muito encaracolado, mas decide que agora não tem tempo pra consertar então vai sair assim mesmo...

Aos 40 anos:
ela olha pra si.... Vê muito gorda, muito magra, muito alta, muito baixa, muito liso, muito encaracolado, mas diz: pelo menos eu sou uma boa pessoa... E sai mesmo assim...

Aos 50 anos:
ela olha pra si mesma e se vê como é... sai e vai pra onde ela bem entender...

Aos 60 anos:
ela se olha e lembra de todas as pessoas que não podem mais se olhar no espelho... sai de casa e conquista o mundo...

Aos 70 anos:
ela olha pra si e vê sabedoria, risos, habilidades, sai para o mundo e aproveita a vida...

Aos 80 anos:
ela não se incomoda mais em se olhar... Põe simplesmente um chapéu violeta e vai se divertir com o mundo...

Talvez devêssemos pôr aquele chapéu violeta mais cedo!

Mário Quintana

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

"Living in the Moment"

“Todos concordam que é importante viver no momento, o problema é como”, afirma Ellen Langer, psicóloga em Harvard e autora do livro Mindfulness.


Segundo um artigo da Psychology Today, elaborado pelo jornalista canadense Jay Dixit, que se baseou nos escritos sobre mindfulness (atenção plena) do Budismo, Taoísmo, Yoga e muitas tradições nativas americanas, existem seis passos para viver o momento presente
O saber viver "o aqui e o agora" constitui nos dias de hoje um dos paradoxos mais peculiares da vida, pois "o seu futuro mais brilhante está na sua habilidade de prestar atenção no presente".

Eis os seis passos, de forma muito resumida:
1. Para melhorar seu desempenho, pare de pensar sobre ele (não-consciência-de-si-mesmo).

O estudo mostra como exemplo de como ficamos nervosos ao entrar numa pista de dança, preocupados demais com como estamos a dançar e prestando atenção de menos na própria música.
Para conseguir dançar com a música, você é obrigado a entregar a sua atenção para o ritmo dela. Ao fazer isso, o seu foco muda automaticamente de você próprio e do seu desempenho para a música.

2. Parar de ficar a preocupar-se com o futuro, foque-se no presente (degustação).

“Frequentemente nós ficamos tão emaranhados em pensamentos do futuro e do passado que esquecemos de experimentar, e ainda menos de desfrutar, o que está a acontecer agora. Nós tomamos um gole de café e pensamos ‘Não está tão bom como o que tomei a semana passada’. Comemos um biscoito e pensamos ‘Espero que o biscoito não acabe’.

3. Se você quer ter um futuro no seu relacionamento, habite o presente (respire).

Whitney Heppner e Michael Kernis, da Universidade de Georgia(EUA), dizem que “a atenção neutraliza os impulsos agressivos nas pessoas”, informa o estudo. Reduz o envolvimento do ego, aumenta o auto-controlo e “faz você perceber o que os budistas chamam de ‘reconhecer a faísca antes da chama’”.

4. Para aproveitar ao máximo o tempo, perca a noção dele (fluxo).

Este é um tema meio esotérico, mas que os psicólogos estão a tentar explorar cada vez mais: o que chamam de fluxo (flow). “O fluxo acontece quando você está tão compenetrado numa tarefa que perde noção de tudo o que está em volta de você”, diz o estudo. “O fluxo incorpora um aparente paradoxo: como você poderia estar a viver no momento se você não está nem consciente dele?”

5. Se algo está a incomodá-lo, mova-se em direção a ele e não para longe dele (aceitação).

"Estar aberto para o modo como as coisas são em cada momento sem tentar manipular ou mudar a experiência – sem julgar, se apegar ou evitar”.

6. Saiba que você não sabe (engajamento).

Ellen Langer, a psicóloga entrevistada no estudo, diz que “a melhor maneira de evitar blackouts é desenvolver o hábito de estar sempre atento às coisas novas em qualquer situação que você esteja”.
E completa: “Nós tornamo-nos indiferentes porque logo que achamos que sabemos algo, paramos de prestar atenção a isso”.

domingo, 28 de outubro de 2012

passado PRESENTE futuro

"Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem o dinheiro para recuperar a saúde. E por pensarem ansiosamente no futuro esquecem do presente de forma que acabam por não viver nem no presente nem no futuro. E vivem como se nunca fossem morrer... e morrem como se nunca tivessem vivido."
Confúcio

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Módulo de Nutrição e Saúde Integral - Novembro e Dezembro de 2012

Hoje em dia, a prevenção em saúde e particularmente a procura por uma melhor qualidade de vida é indispensável a qualquer ser humano. Com este módulo pretende-se desvendar a importância de melhorar os hábitos alimentares, combater o sedentarismo e cultivar amizades. A partilha de experiências de vida e conhecimentos de si próprio é desenvolvida no sentido melhorar a sua saúde física, mental e emocional. Esta é a etapa para desfrutar plenamente cada dia de uma vida mais longa. Ser saudável e feliz, agora e no futuro, é o desafio que vos proponho.
O módulo é constituído por 8 sessões de 1 hora por semana, ao longo dos meses de Novembro e Dezembro. 
  
Beatrice Wood, aos 100 anos
"Algures dentro de mim, tenho um excedente de anos, mas graças a Deus só tenho 32 anos."

"Porquê 32 anos?"
"Gosto da forma como me soa, traz-me boas recordações."

Para mais informações contate:
224 087 957 | 967 652 619 | 916 937 849

domingo, 23 de setembro de 2012

As pessoas hoje...

As pessoas, hoje, talvez subjugadas pela pressa,
não andam, correm;
não param, cruzam-se;
não conversam, gesticulam;
não escutam, ouvem;
não vêem, olham;
não sentem, reagem;
não convivem, estão juntas.
As pessoas, hoje,
caminham lado a lado 
sem jamais se encontrarem.

Porque é tão difícil emagrecer?

"Doutora, acredite em mim, eu não como assim tanto para ter este peso."
"Como o mesmo que comia aos 20 anos e não percebo porque é que engordei tanto."
"E até já deitei fora a minha balança, para não me lembrar mais do que senti da última vez que subi nela."




A questão é justamente essa: comer sempre a mesma coisa toda a vida e pior que isso a mesma quantidade que comia aos 20 anos! 

Pois se até aos 30 anos come o mesmo que gasta, tudo bem. O ponteiro da balança mantém-se no mesmo sítio. O problema é que a partir desta idade o metabolismo começa a diminuir 2% por década. 

Além disso, a ciência mostra-nos que não são só as calorias a mais ou a menos que fazem mexer o ponteiro da balança. Existem outros factores que comprovam o motivo pelo qual depois de adquirirmos massa gorda é tão difícil eliminá-la do nosso organismo.

E a seguir a paciente diz que já fez todas as dietas e tomou todos os remédios aconselhados e não aconselhados, que já fez lipoaspiração e todas as técnicas de massagem e que emagreceu, mas voltou a engordar logo depois.

Este é um caso muito típico nos dias de hoje, pessoas com metabolismos verdadeiramente massacrados de todas as formas. Apesar de “hiperalimentados”, estes organismos estão altamente desnutridos porque baralharam tudo.

E agora que fazer???

É essencial que o metabolismo recupere nutricionalmente para iniciar um processo de emagrecimento saudável. Para isso, é necessário o acompanhamento de um profissional especializado que defina um tratamento personalizado, que integre não somente a componente física, mas também a emocional e todas aquelas que influem na complexidade deste problema.

terça-feira, 12 de junho de 2012

Prepare-se para o Verão: Plano DETOX


A detoxificação é um processo fisiológico que o organismo realiza constantemente. É efectuada por todas as células de todos os tecidos, mas principalmente pelo intestino (± 20%) e pelo fígado (60-65%).

Porém, quando o consumo alimentar é maior que a capacidade de eliminação do organismo, e isto verifico na minha prática clínica com muita frequência, ou quando a falta de tempo fala mais alto que a prática de uma alimentação de qualidade, desenvolve-se um sério problema no equilíbrio metabólico.

O recurso a alimentos processados de baixa qualidade nutricional e alta quantidade de adoçantes artificiais, corantes, acidulantes, conservantes e outros aditivos (a lista é grande!) levam a que o organismo fique saturado de tais substâncias e não reconheçam o excesso das mesmas. Ainda uma dieta pobre em proteínas, deficiente em vitaminas e minerais, rica em hidratos de carbono e gorduras saturadas, bem como o fumo do tabaco (mesmo o passivo!), o álcool e muitos outros factores aumentam a toxicidade no nosso organismo.

Algumas das disfunções associadas à acumulação de toxinas no organismo são o excesso de peso, a diabetes (ou pré-diabetes), as doenças cardiovasculares, os desequilíbrios hormonais, a falta de memória e o envelhecimento cerebral precoce, as alergias, os problemas de cabelo e de pele, entre outras.

O objectivo da dieta detox é acelerar a capacidade de regeneração do fígado e reequilibrar o metabolismo, facilitando o processo de emagrecimento. Esta dieta deverá ter a duração mínima de 2 semanas e pode ir até 30 dias.

 Saiba quais os melhores alimentos detox e os que deve eliminar da sua lista de compras, bem como os suplementos nutricionais e fitoterápicos (de plantas) que aceleram e optimizam os resultados. Experimente um realizar um plano detox e verifique que o seu sistema de detoxificação e o seu organismo irão funcionar a todo o vapor. 


 Consulta DETOX no espaço:

Dicas d'Equilíbrio
Centro Comercial Porto Gran-Plaza
Rua Fernandes Tomás
Loja 102   Piso 1
4000-211 Porto
www.dicas-dequilibrio.pt

Porque é que dormir menos de 7 horas aumenta o risco de desenvolver obesidade?


Nos últimos anos, a ciência tem mostrado a existência de uma estreita relação entre a falta de sono e um maior risco de ser obeso. Além de, em muitas ocasiões, aumentar a predisposição para várias patologias, como a diabetes e a hipertensão.

Esta relação estabelece-se em todas as idades. Num estudo realizado com 68.000 mulheres adultas cujo peso foi seguido durante 16 anos, observou-se que aquelas que dormiam 5 ou menos horas ganharam cerca de 4,3kg, mais que as mulheres que dormiam 7 ou mais horas.

Quando se dorme pouco, os níveis hormonais relacionados com a fome alteram-se. A leptina, que inibe o apetite, encontra-se diminuída e a grelina, que aumenta a sensação de fome, encontra-se aumentada. Portanto, se dormimos menos, aumentamos a sensação de fome e por outro lado, se estamos despertos aumentamos a oportunidade de comer. Além disso, produz-se uma alteração do ritmo cardíaco e inevitavelmente a sensação de cansaço. Por consequência, este sintoma leva a um aumento do sedentarismo. 

Finalmente, acaba-se aumentando o peso, a percentagem de gordura corporal e o perímetro da cintura – os 3 indicadores da obesidade.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

O Método Feldenkrais

Um workshop com Claudia Mader (Áustria / Alemanha) 
Educadora Somática / Professora Certificada de Feldenkrais

Data | 18 a 22 de Junho
Horário | 10h00 – 12h00
Local | Sala de ensaios TeCA (Teatro Carlos Alberto) _ R. das Oliveiras, 43, Porto

Inscrição | 95€
Associados NEC, alunos e professores da FBAUP, inscritos nas aulas de taichi e consciência corporal no NEC| 70€
Desconto de 10% (85,5€ | 63€) a quem se inscrever até dia 08 de Junho 
Lotação limitada a 10 participantes
Data limite de inscrições | 13 de Junho

Informações | NEC – Núcleo de Experimentação Coreográfica
                      nec@nec.co.pt
                      91 3211426 | 96 1424668
                      www.nec.co.pt

Colaboração | TNSJ - Teatro Nacional São João


Os melhores momentos da vida são aqueles em que tudo parece encaixar. Cada pormenor de consciência, poder, equilíbrio, tempo, ritmo, emoção,
pensamento, sentimento, sensação, surgem nas proporções certas e a acção que realizamos parece simples, efectiva e atractiva para nós mesmos e para as pessoas que nos observam.

O Método Feldenkrais cria as circunstâncias onde podemos aprender a diferenciar acções e comportamentos efectivos e úteis daqueles hábitos em que nos desgastamos. Praticar Feldenkrais significa fazer pouco e percepcionar muito. 

Através de movimentos pequenos e que não exigem esforço estimulamos a capacidade de aprender e de expandir a nossa auto – imagem, desenvolvemos uma exploração que optimiza os movimentos a partir de ajustamentos mínimos. A aprendizagem em movimento é lúdica e prazerosa ao mesmo tempo que segue um fio condutor que garante precisão e eficiência. Sequências de movimento não habituais – que começam frequentemente deitados ou sentados – permitem ter novas visões dos nossos hábitos, abrindo por isso, alternativas. 

A nossa imagem corporal fica mais diferenciada, o que reforça a possibilidade do nosso esqueleto se transportar melhor e a musculatura torna-se livre de tensões desnecessárias. A exploração de movimento nestas sessões é desenhada para fomentar uma sensação de bem estar geral. Adicionalmente, podemos atingir um novo sentido de calma e vitalidade.

“O objectivo é um corpo que está organizado para se mover com o mínimo esforço e o máximo de eficiência, não através de força muscular mas através de uma maior consciência de como funciona.” (Moshe Feldenkrais)

O fundador do Método, Dr. Moshe Feldenkrais (1904-1984) foi um físico, engenheiro. O seu interesse nas artes marciais, assim como uma lesão pessoal no joelho, forneceram a base que o levaram, ao longo da sua vida, ao estudo em torno da estrutura e função da humanidade e a relação entre desenvolvimento humano, educação e movimento.

Feldenkrais é para toda a gente que está interessada em desenvolver as suas potencialidades, abrindo o seu leque de acção; que se preocupa com o seu bem estar e desenvolvimento pessoal. Praticar Feldenkrais significa sentir mais facilidade, mais leveza, mais estabilidade e ao mesmo tempo, mais mobilidade, mais clareza no cérebro e maior poder no corpo, sentir-se mais alegre e gracioso na sua interacção consigo próprio e com o mundo.

Os participantes no workshop podem ainda solicitar aulas individuais chamadas Integração Funcional.
A Integração Funcional é uma forma de comunicação cinestésica e táctil através do toque. Relaciona-se com um desejo, intenção ou necessidade do estudante. O professor de Feldenkrais explica ao estudante como é que pode organizar o seu corpo, através de toques e movimentos suaves, como se pode mover através de padrões motores mais expansivos e funcionais. O professor transmite a experiência de conforto, prazer e facilidade de movimento enquanto o estudante aprende como organizar o seu corpo e comportamento de forma nova e efectiva.
(Preço reduzido para os participantes no workshop de 35,00 Euros/sessão)

CLAUDIA MADER 

Nasceu em 1964 em Munique, Alemanha e actualmente desenvolve a sua actividade entre Viena e o Porto.
É Educadora Somática e Professora Certificada de Feldenkrais. Fez o curso de Feldenkrais em Colima, México, no departamento de Medicina e formou-se em Março de 2002. Desde 2000 tem vindo a leccionar em instituições de formação para actores, bem como em Taijiguan e Qigong, na Shambhala Society, em Viena e é desde 2002 formadora no ImPulsTanz.
Desenvolve também prática privada e trabalha com grupos de dança e teatro. Lecciona aulas individuais, enquanto praticante avançada, no International Feldenkrais Training Viena 5 e 6.
Enquanto actriz e performer, Claudia Mader trabalha desde 1985 na área do teatro e artes performativas. A sua actividade baseia-se no movimento e improvisação, tirando partido também da voz e linguagem. Pratica artes marciais e dança e desenvolve o seu próprio estilo de prática, improvisação e criação. Encontra-se a colaborar com várias companhias e directores artísticos na Áustria e no México, enquanto coacher de movimento e assistente artística, ao mesmo tempo que desenvolve as suas performances a solo. Orienta workshops sobre improvisação no processo de criação artística, integrando também a sua experiência com o Método Feldenkrais.

sábado, 19 de maio de 2012

busy busy...

"A vida é o que acontece, enquanto você está ocupado a fazer outros planos."

John Lennon

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Alimentação consciente

Deixo-vos aqui o extracto de um artigo que escrevi para a revista Zen energy Abril 2012




Alimentação consciente
Abordagem nutricional humana e comportamental
Num mundo ocidental de abundância de alimentos, muitas vezes não comemos apenas para ‘matar a fome’ mas, essencialmente, por um conjunto complexo de outras razões, muitas das quais traduzidas pela necessidade exagerada e, por vezes, obsessiva de obter um prazer ou uma compensação de forma imediata. Quando há uma dependência de alimentos como forma de tentar compensar insatisfações, nomeadamente do foro emocional, o resultado poderá ser uma ingestão alimentar desajustada, excessiva e descontrolada, com o consequente aumento de peso. 
O excesso de peso é, na actualidade, uma epidemia a nível mundial e um grave problema de saúde pública.

Maior equilíbrio interior
Na consulta de nutrição comportamental, uma disciplina exclusiva da clínica e’sensia, no Porto, são utilizadas algumas técnicas que envolvem imagens, sons, prática e ensino de técnicas de relaxamento e de gestão do stress aplicada ao comportamento alimentar.
Afinal, aquilo que comemos relaciona-se com a forma como nos sentimos e nos tratamos.

O plano de acção nutricional deve ir ao encontro das características individuais de cada pessoa, nas suas prioridades e motivações. A nossa experiência nesta abordagem tem sido frutuosa, com o alcance de um maior equilíbrio interior, comportamentos mais ajustados que conduzem ao controlo do peso e à melhoria do bem-estar e da qualidade de vida. Porque entendo que, como afirma Clarice Lispector «A atitude é uma pequena coisa que faz uma grande diferença.»

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Paleo Diet

Vale a pena reflectir na evolução do nosso estilo de vida. 
Afinal a nossa genética não é assim tão diferente da dos homens das cavernas!!!

O corpo intoxicado

O consumo exagerado de gordura, sódio e álcool e a exposição excessiva ao sol e ao cigarro, entre outros hábitos nocivos da modernidade, podem comprometer o funcionamento de uma das mais nobres estruturas celulares, as mitocôndrias (pequenas "bolsinhas" de energia existentes no interior das células). 
Quando agredidas, elas deflagram a produção excessiva de radicais livres, átomos ou moléculas altamente reactivos que podem desequilibrar a bioquímica celular.

Bryan Christie Designer

fonte: www.veja.abril.com.br

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Fome Espiritual e Saciedade

"Hunger for things is the supreme disease."
The Buddha

A falta de atenção no que comemos, como comemos e porque comemos faz com que sintamos sempre a falta de algo mais, algo que nos faça sentir melhor.
O consumismo reflecte o nosso sentido de vazio, ânsia, desejo, privação.
Quanto mais acreditamos que a felicidade é resultado da satisfação do desejo, mais reforçamos a nossa dependência do "algo mais", aumentando ainda mais o desejo.


terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Porque envelhecemos?

Envelhecemos porque nos oxidamos!
A oxidação é um processo natural que ocorre no nosso organismo ao longo do tempo. Então as células, órgãos e outras partes do corpo podem tornar-se mais sensíveis pela oxidação, aumentando o risco de várias doenças, como as cardiovasculares e o cancro.

Durante o metabolismo do que comemos para produzir energia, o nosso organismo produz radicais livres por acção do oxigénio. O radicais livres são moléculas, às quais lhe faltam um electrão e, por isso, buscam desesperadamente roubar uma outra molécula, atacando desta forma as membranas celulares e principalmente o ADN. Quanto maior a produção de radicais livres, maior a oxidação celular e, por isso, maior degradação celular, de tecidos e órgãos, e consequentemente mais rapidamente envelhecemos.

Cabe a cada um de nós escolher entre aumentar a consciência para um estilo de vida e alimentação saudável ou limitar-nos a ser agentes passivos adoptando os hábitos da civilização moderna.

Para onde está a caminhar?

Pequeno-almoço VIVO: Creme de Budwig

Eis o Creme de Budwig - o pequeno almoço do Método de Kousmine, desenvolvido pela Dra. Catherine Kousmine (1904-1992), uma médica e grande mulher que impulsionou o mundo da medicina, evidenciando o papel da alimentação no tratamento (e cura) de doenças crónicas graves (como o cancro), felizmente cada vez mais reconhecido nos dias de hoje. 

Sem grandes recursos para conduzir as suas experiências sistemáticas, o seu método baseou-se na experiência prática de 50 anos de exercício profissional.

A ineficácia dos tratamentos convencionais usados nas doenças emergentes no mundo moderno do pós-guerra – patologias crónicas degenerativas, psíquicas e auto-imunes – mostraram a C. Kousmine que era preciso fazer despertar as capacidades de auto-cura do organismo. E que este só seria capaz de o fazer em condições de excelência.  

Como preparar?
4 colheres de um lácteo vegetal (arroz, aveia, amêndoa...) ou um "bom lácteo animal" (kéfir, requeijão, iogurte grego natural...)
2 colheres de chá de um óleo de 1ª pressão a frio (azeite ou óleo de linhaça, noz ou de sementes de abóbora)
sumo de 1/2 limão
1 colher de chá de mel biológico ou 1/2 banana madura
2 colheres de chá de cereais integrais crus e recém moídos (aveia, millet ou trigo sarraceno)
1 colher de chá de frutos secos ou sementes oleaginosas recém moídos
fruta da época aos pedaços
Num copo misturador ou numa taça, bater a fonte proteica (lácteo) com o óleo e o sumo de limão. Depois, juntar a banana ou o mel e o cereal. Misturar bem tudo. Por fim adiciona-se a fruta fresca que pode deixar-se em pedaços ou bater até incorporar tudo em creme.

Bom apetite!

domingo, 29 de janeiro de 2012

Vai um pouco de açucar? Não, obrigada!

Lembro-me muitas vezes da minha mãe dizer que, quando ela era pequena, açúcar só se usava uma vez por ano, que era no Natal para fazer as filhoses, e era do "escuro", pois o branco era escasso. E iogurtes? Não se lembra de comer em criança, mas mais tarde quando surgiram os primeiros iogurtes, que eram naturais!, nesse dia era uma festa!

Na verdade, não passaram mais de 60 anos desde que o consumo de açúcar refinado subiu em flecha. Enquanto os nossos genes se desenvolveram num meio em que uma pessoa consumia, no máximo, 2 kg de mel por ano, o consumo de açúcar aumentou para 70 kg por ano em finais do século XX.

O biólogo alemão Otto Heinrich Warburg recebeu o Prémio Nobel da Medicina pela sua descoberta de que o metabolismo dos tumores malignos estava, em grande medida, dependente do consumo de glucose (é a forma de açúcar depois de digerido pelo organismo). Isto deve-se à resposta da insulina, libertada após a subida dos açúcares no sangue, depois de ingerirmos açúcar ou farinhas refinadas, e também de outra hormona chamada IGF que, as duas em conjunto, além de estimular o crescimento das células, promovem um aumento dos factores inflamatórios, que funcionam como "fertilizantes" para as células tumorais.

Será possível voltarmos à alimentação de outrora?

Energia Vital

Hannah Allen, no seu livro, The Principles of Digestive Physiology which Decree Correct Food Combining, afirma que "não é o que comemos, mas o que digerimos e assimilamos é que produz saúde e força".


De alguma forma, isto explica porque é que há pessoas que comem de modo tão semelhante e têm um peso corporal e estados de saúde tão distintas.

Segundo a medicina natural, a Energia Vital do nosso organismo, que é a capacidade que o corpo tem de se autocurar, integrada na capacidade de autorregulação que tem a Natureza da qual fazemos parte. A Energia Vital do organismo divide-se em 3 grandes sistemas que mantém a vida:

nutrição

relação

eliminação 

Do sistema de nutrição também faz parte o sistema de Respiração, através do qual nos "alimentamos" oxigénio e da energia do ar, assim como a Circulação sanguínea que transporta as substâncias nutritivas e o oxigénio necessário para as células. Não menos importante é o aporte nutritivo que recebemos do sol e do contacto com a natureza.

O sistema de relação é formado pelo conjunto de órgãos encarregados de nos colocar em contacto com o mundo exterior (o mundo físico e a natureza) e com os outros seres humanos. É dirigido em grande parte pela vontade consciente e pelo nosso inconsciente, a "sombra" como chamava Carl Jung, psicanalista e discípulo de Freud. Quando nos movemos, pensamos o mundo com os sentidos, vivemos os nossos sentimentos e emoções, comunicamos... o nosso organismo mobiliza grande parte da nossa energia para os ossos, músculos, cérebro, sistema nervoso, órgãos dos sentidos e da linguagem.

Finalmente o sistema da eliminação é constituído pelos rins, pulmões, aparelho digestivo, e pele. Igualmente importante é o tecido linfático que neutraliza e elimina muitas toxinas do nosso organismo. Paralelamente ao trabalho de eliminação, o corpo efectua um processo de regeneração da energia.

Quando estes 3 sistemas de energia funcionam em equilíbrio e harmonia falamos em saúde.

"O que queres ser quando fores grande?"

Quando eu tinha 5 anos, 
a minha mãe sempre me disse que a felicidade era a chave para a vida
Quando fui para a escola, perguntaram-me o que eu queria ser quando crescesse. 
Eu escrevi “Feliz!”
Eles disseram-me que eu não entendi a pergunta, 
e eu disse-lhes que eles não entendiam a vida.

John Lennon

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Comer devagar emagrece!

A velocidade com que ingerimos os alimentos tem influência no peso corporal e comer devagar tem resultados equiparáveis aos de uma cirurgia bariátrica*, revela um estudo realizado por uma investigadora portuguesa que ganhou um prémio internacional.

*Cirurgia bariátrica é um tipo de cirurgia realizada para redução do estômago em pessoas com um elevado grau de obesidade.

Além de que podemos desfrutar mais de um dos grandes prazeres que a vida nos dá e que muitas vezes não valorizamos...!!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Comece bem o ano!

Exagerou nas festas? No Inverno tem mais apetite?

Chegou o momento de eliminar os excessos acumulados nos últimos tempos e ajudar o seu organismo a eliminar as toxinas e a restabelecer a energia e a forma física com um dieta depurativa e antioxidante.

O peso aumenta, na consciência… e na balança! Esta é a altura de fazer uma dieta de purificação que ajuda a melhorar o funcionamento do sistema renal, hepático e intestinal. Quando as toxinas do organismo não são convenientemente eliminadas há uma maior susceptibilidade para o aumento de peso, colesterol e triglicerídeos, obstipação, enxaquecas e cefaleias, problemas de pele, perda de vitalidade e uma maior fragilidade do sistema imunitário.

Este ano é para valer! Prepare-se para a mudança, eu ajudo!
Informe-se ou marque uma consulta detox.

Nunca é tarde para nos sentirmos jovens...


"Algures dentro de mim, tenho um excedente de anos, mas graças a Deus só tenho 32 anos."
"Porquê 32 anos?"
"Gosto da forma como me soa, traz-me boas recordações."

Beatrice Wood, aos 100 anos

“Faz do teu remédio o teu alimento e do teu alimento o teu remédio.”

Já dizia Hipócrates, pai da medicina.


Verdade que vem sendo transmitida ao longo de séculos e séculos e mais séculos… e permanece mais viva que nunca.

Quanto mais se estuda e mais a ciência avança, mais razões há para fazermos o que o “pai da medicina” nos ensina!