Avançar para o conteúdo principal

"Se eu pudesse novamente viver a minha vida..."

Perante as vulnerabilidades da vida humana, vem à memória aquele poema do humorista Don Herold, que fala sobre aquilo que ele faria se pudesse viver novamente a sua vida...

INSTANTES

Se eu pudesse novamente viver a minha vida,
na próxima trataria de cometer mais erros.
Não tentaria ser tão perfeito,
relaxaria mais, seria mais tolo do que tenho sido.

Na verdade, bem poucas coisas levaria a sério.

Seria menos higiénico. Correria mais riscos,
viajaria mais, contemplaria mais entardeceres,
subiria mais montanhas, nadaria mais rios.

Iria a mais lugares onde nunca fui,
tomaria mais sorvetes e menos lentilhas,
teria mais problemas reais e menos problemas imaginários.

Eu fui uma dessas pessoas que viveu sensata
e profundamente cada minuto de sua vida;
claro que tive momentos de alegria.

Mas se eu pudesse voltar a viver trataria somente
de ter bons momentos.
Porque se não sabem, disso é feita a vida, só de momentos;
não percam o agora.

Eu era um daqueles que nunca ia
a parte alguma sem um termómetro,
uma bolsa de água quente, um guarda-chuva e um pára-quedas e,
se voltasse a viver, viajaria mais leve.

Se eu pudesse voltar a viver,
começaria a andar descalço no começo da primavera
e continuaria assim até o fim do outono.

Daria mais voltas na minha rua,
contemplaria mais amanheceres e brincaria com mais crianças,
se tivesse outra vez uma vida pela frente.

Mas, já viram, tenho 85 anos e estou a morrer.

Don Herold

(traduzido mais tarde por Jorge Luís Borges)

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Food Matters (legendado)

"Se pensa que pode ir ao médico e tomar um comprimido para tudo, está profundamente errado."
"Há cada vez mais pessoas a recorrer a alternativas, porque o que se tem feito até agora não funciona."
"Descubra o que realmente funciona!"
"É uma opção. Você não tem de ficar doente."

A alma, o corpo e tu.

Quando tu consegues tomar consciência que tu não és tu - não a um nível intelectual - porque esse está muito acessível e só não o desenvolve quem não quer ou não se interessa... mas a um nível mais profundo... Tu deixas de querer ser tu, leia-se os outros: aqueles que têm o teu sangue, aqueles que te "educaram", aqueles que de uma forma ou de outra te marcaram e guiaram o teu caminho, as tuas escolhas, conscientes ou não, os teus hábitos, os teus vícios... e que te trouxeram ao que tu és agora.
De que vale a pena caminhares na rua com os sapatos mais lindos da loja, se te apertam o dedo mindinho ou se escorregas dentro deles, quando os paralelos da rua não são assim tão paralelos, têm altos e baixos, são irregulares e imprevisíveis. E tu, o teu corpo e a tua mente estão nesse jogo, no jogo do medo de não cair no buraco da estrada que te impede de desfrutar do caminho?
Os "sapatos" que tu calças permitem-te voar? São tão leves que a tua Alma pode calçar, sem sentir…

Compulsão alimentar diz-lhe alguma coisa?

Se não está satisfeito com o seu Peso e/ou o seu Comportamento Alimentar, este artigo interessa-lhe!
Leia a minha reflexão sobre esta temática, que vai muito além do pecado capital da vida moderna - a Gula. Pode de facto ser uma problema com consequências muito negativas para a sua saúde.
Disponível já nas bancas na revista Saber Comer Com Saúde da ZEN energy!