terça-feira, 1 de outubro de 2013

Vida Saudável – Ecológica – Sustentável

... e Feliz!

Atualmente, há investigadores que se dedicam a estudar a "economia da felicidade". Nestes estudos1 apresentam alguns padrões nos fatores determinantes da felicidade, baseando-se na vida longa, feliz e sustentável de todos os países do mundo, ou seja, na eficiência com que os países convertem os recursos finitos da terra em bem-estar para os seus cidadãos.

Para além da satisfação com a vida e expectativa da mesma, a Pegada Ecológica é um dos indicadores mais importantes. Corresponde à quantidade de terra necessária para proporcionar a todos os seus recursos, mais a quantidade de terra com vegetação necessária para absorver todas as suas emissões de CO2 e as emissões de CO2 incorporados nos produtos que consome.
A Pegada Ecológica é uma estimativa do impacto que o nosso estilo de vida tem sobre o Planeta.

Então, será que a nossa forma de viver está de acordo com a capacidade que o Planeta tem de disponibilizar e renovar os recursos naturais, ou absorver os resíduos e os poluentes que geramos ao longo dos anos?

Infelizmente não! A boa notícia é que há imensas coisas que permitem uma melhor gestão de recursos e podemos começar já hoje.
Em termos alimentares é urgente:
- adquirir alimentos produzidos localmente, sempre que isso for possível;
- consumir produtos frescos em detrimento dos congelados, enlatados ou processados;
- aumentar a proporção de vegetais em relação aos produtos de origem animal consumidos a cada refeição;
- preferir sempre que possível alimentos de origem biológica;
- comer menos carne e lacticínios – esta produção é das mais intensivas e das que mais liberta gases com efeito prejudicial para o ambiente, assim como a que gasta mais água.
A produção de uma simples porção de carne leva à libertação de 5 kg de gases com efeito de estufa e para a produção de 1 kg de carne são gastos 16000 litros de água!

Além disso, quanto mais processados são os alimentos que ingerimos, menos o nosso organismo os reconhece. Alimentos processados ou impregnados de químicos da agricultura / pecuária tornam difícil o trabalho do organismo na eliminação de outros compostos normais do metabolismo, obrigando-o a usar a energia e alguns nutrientes que deveriam ser usados para o metabolismo normal. Ter uma alimentação mais natural e biológica além de otimizar o funcionamento do nosso organismo, pode inclusive contribuir para uma perda de peso, sem necessidade de dietas restritas.

1 Happy Planet Index da New Economics Foundation e estudo da Organização para a Cooperação Económica e Desenvolvimento,  OCDE

Pela sua saúde, pelo ambiente e pelo planeta faça escolhas conscientes e sustentáveis.

Feliz Dia Mundial do Vegetarianismo!

Sem comentários:

Enviar um comentário